Notice: Undefined index: HTTP_ACCEPT_LANGUAGE in /var/www/novosite/bib/classes/util/i18n/Language.php on line 106
» Fundação Amazônia Paraense de Amparo à Pesquisa «
Webmail | Acessibilidade
Redes Sociais
Seminário discute as projeções para a economia brasileira e paraense em 2018

Seminário discute as projeções para a economia brasileira e paraense em 2018

Data: 08/02/2018

A economia do estado do Pará em 2017 foi fortemente influenciada pelo cenário mundial e brasileiro e não será diferente em 2018. O Brasil entra o ano em um processo de recuperação econômica, de acordo com estimativa do Banco Central de que o país deverá crescer entre 2% e 2,7%, com um saldo positivo no mercado de trabalho de 514 mil postos, segundo dados da Fundação Getúlio Vargas FGV. De acordo com a projeção da Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (FAPESPA), o Pará deverá ter um ano de crescimento econômico acima de 3% esse ano e deverá gerar mais de 12 mil postos de trabalho formais. Esses foram alguns dos números apresentados no seminário “Projeções e Perspectivas para a Economia Brasileira e Paraense em 2018”, realizado pela Fapespa na manhã desta quarta-feira, 7, na Federação das Indústrias do Pará (Fiepa).

Além disso, o evento destacou que há uma expectativa de crescimento de 3% no PIB do Pará em 2018 comparado a 2017. Esse crescimento estará acima da média nacional levando em conta vários fatores como: recuperação das vendas do comércio, expectativa de crescimento na extração mineral, aumento na produção de energia elétrica, recuperação da produção de Tucuruí e expansão em Belo Monte, manutenção no nível de produção da agropecuária e aquecimento pontual em atividades de serviços correlatas à indústria.

De acordo com o presidente da Fapespa, Eduardo Costa, “O seminário teve por objetivo apresentar o cenário econômico em nível mundial, em nível Brasil e fundamentalmente as projeções e perspectivas para economia do estado do Pará. Em nível internacional é possível perceber que é um cenário totalmente favorável, Estados Unidos, União Europeia e China crescendo esse ano, o que já indica uma liquidez para áreas produtoras de commodities agrícolas e minerais como é o estado do Pará”, disse.

O evento também teve a participação do secretário de desenvolvimento econômico, mineração e energia, Adnan Demachki, que apresentou os primeiros resultados do programa “Pará 2030”. “Tivemos avanços na área fundiária, a construção do novo Instituto de Terras do Pará- Iterpa, a simplificação de procedimentos internos, a terceirização dos serviços, o novo prédio, a digitalização dos documentos, de forma que o Instituto, nesse ano de 2017, já sobre a base do Pará 2030, emitiu mais títulos que nos 5 anos anteriores. Na área ambiental, a simplificação dos procedimentos de licenciamento com simples ambiental isso permite mais agilidade na licença sem a perda da qualidade do licenciamento, as políticas públicas de verticalização todas direcionadas para a industrialização do estado”, declarou o secretário.

Além disso, o coordenador do Centro Internacional de Negócios da Fiepa, Raul Tavares, apresentou dados de como se comportou a economia mundial em 2017 e quais as perspectivas para 2018. “Percebemos que houve um crescimento mesmo que moderado na economia internacional com um reflexo muito pujante para as economias em desenvolvimento. Ou seja, quando a gente percebe que as economias avançadas começaram a ter um equilíbrio de contas, seja através de politicas públicas, de redução na taxa dos juros e controle de inflação, obviamente você está estimulando de uma certa forma o crescimento dessas economias. E se elas crescem e que são dependentes das matérias-primas, das commodities geradas nos mercados em desenvolvimento, é obvio que o reflexo é importante para o Barsil e particularmente para o Pará que é um estado eminentemente exportador que tem na sua participação de pauta comercial 87% de toda produção e exportação de minério de ferro”, concluiu.

Enviar por email

Deixe seu Comentario

Veja também

SIG AMAZÔNIA

Links úteis +

Editais, Ferramentas e Avisos +