Webmail | Acessibilidade
Redes Sociais
Pesquisa estadual irá mostrar a realidade dos 144 municípios do Pará

Pesquisa estadual irá mostrar a realidade dos 144 municípios do Pará

O projeto PEAD, de iniciativa da Fapespa, levantará dados para embasar políticas públicas.

Data: 07/10/2021

Para elaborar e aprimorar políticas públicas mais eficazes nos 144 municípios paraenses, visando o desenvolvimento socioeconômico e compreender com mais detalhes as necessidades dos 8.777.124 habitantes do estado. A Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas (Fapespa), por meio da Diretoria de Estudos e Pesquisas Socioeconômicas e Análise Conjuntural (DIEPSAC), lançou nesta quinta-feira (07) o Projeto de Pesquisa Estadual por Amostra de Domicílios (PEAD).

O evento contou com a presença do presidente da Fapespa, Marcel Botelho, do secretário de Estado de Ciência, Tecnologia e Educação Profissional e Tecnológica (SECTET), Carlos Maneschy, de autoridades municipais e locais.

Segundo Márcio Ponte, diretor da DIEPSAC, a PEAD é uma alternativa elaborada à Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), responsável pelo Censo Demográfico.

"Os dados dos municípios ficaram muito desatualizados, já que a maioria deles diz respeito ao último Censo realizado, o de 2010. Esperar até 2022 para a realização, sendo que resultados só virão depois do trabalho concluído, deixaria o Estado, de um modo geral, ainda mais tempo no escuro sobre como vivem as pessoas nas cidades paraenses. Isso acabou nos provocando. A PEAD é inspirada na Pnad Contínua do IBGE, porém não é um censo, mas terá como metodologia a ida de equipes de pesquisadores para o levantamento de dados primários nas 144 cidades, para que possamos apresentar um espelho da realidade dos paraenses", explicou Márcio Ponte.

De acordo com o presidente da fundação, Marcel Botelho, os dados levantados, a partir da pesquisa, possibilitará a elaboração de estudos analíticos de caráter socioeconômico, apontando claramente as condições econômicas, vulnerabilidade social e deficiência das cidades paraenses, assim como a potencialidade de cada uma dessas localidades do Estado. Além de permitir a porcentagem estimada de pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA) que vivem no Pará.

“A partir da PEAD vamos obter dados sobre as características dos moradores, como por exemplo, condições de moradia, avaliação dos serviços públicos, acessibilidade à saúde, saneamento, internet, entre outros temas, de acordo com as necessidades de informação que o Estado precisa. Como prioridade e de grande relevância para a criação de políticas públicas e a promoção dos direitos das pessoas com TEA, incluímos na coleta de dados, perguntas que possam identificar se há algum membro daquela família que tenha autismo”, frisou o presidente da Fapespa, Marcel Botelho.

A PEAD é regida pela Lei nº 13.019/ de 31 de julho de 2014, pelo Decreto Estadual 1835, de 05 de setembro de 2017 e pelas condições previstas no edital nº 002/2021 – DIEPSAC da Fapespa, de 23 de julho de 2021. A pesquisa será feita a cada 12 meses e tem abrangência estadual. Durante 3 meses, as equipes de pesquisadores irão entrevistar cerca de 67.860 pessoas nos 144 municípios paraenses. As visitas irão iniciar neste mês de outubro e a expectativa é divulgar os dados coletados em janeiro de 2022.

A execução da pesquisa conta com o apoio da organização civil Biotec Amazônia. A parceria é fruto de uma chamada pública, da qual a Biotec, que atualmente atua na área de Desenvolvimento Tecnológico e Científico, saiu vencedora. 

A Biotec Amazônia garantirá o suporte de pessoal para realizar a coleta de dados domiciliar. A partir daí, será gerado um relatório técnico com a apresentação de cada município, revista eletrônica com dados em linguagem acessível para o grande público, um site e um aplicativo, para que de qualquer lugar do mundo seja possível ter acesso aos dados referentes aos 144 municípios paraenses nos aspectos socioeconômicos.

 

Fapespa

Fundada em 2007 para ser a responsável pelo fomento de pesquisa em ciência, tecnologia e inovação dentro do estado do Pará.

Em 2015 a fundação incorpora ao Instituto de Desenvolvimento Econômico, Social e Ambiental do Pará (Idesp), tornando-se Fundação Amazônia de Amparo a Estudos e Pesquisas, fortalecendo-se como instituição de amparo e fomento à pesquisa e estabelecendo-se como órgão estratégico na elaboração e monitoramento de políticas públicas para o desenvolvimento efetivo do estado do Pará.

“A Fapespa é um órgão estratégico na elaboração e monitoramento de políticas públicas para o desenvolvimento efetivo do Pará, com mais de 700 projetos inovadores sendo executados, os quais beneficiarão todos os paraenses”, concluiu o titular da Fapespa, Marcel Botelho.

 

 

Texto: Rosane Linhares

Fotos: Jader Paes – Agência Pará

Enviar por email

Deixe seu Comentario

Veja também

SIG AMAZÔNIA

Links úteis +

Produtos +